Maria tem contato com os livros desde bebê. O primeiro foi seu livrinho de banheira, aqueles com animais coloridos e seus nomes. O segundo chegou por volta de 2 aninhos, Maria ganhou de um amigo do papai, com muitas letras, desenhos e uma história muito bacana, Cocô de Passarinho de Eva Furnari.
Seu acervo foi só crescendo e nosso incentivo também. Feiras de livros, presentes, livrarias, leituras, foram alguns de nossos estímulos à leitura de Maria, que aos 5 anos e 9 meses, lia para mamãe suas primeiras palavras fluentemente. Foi uma surpresa! Provavelmente já lia há mais tempo na escola.
E nossa experiência foi assim:
1 – Comprar e sugerir livros de presente
Para cada fase da Maria, um livro diferente. É importante acompanhar a idade da criança com a leitura para não deixar que algum livro muito difícil ou muito fácil, desestimule essa fase. Vira e mexe trazíamos um livrinho ou deixávamos que ela escolhesse. Quando os avós, titios ou amigos perguntavam que presente poderia dar à Maria, lembrávamos primeiro dos amigos livros e assim permitíamos que ela tivesse mais oportunidade com a leitura.
2 – Levar a criança em Livrarias, Bibliotecas e Feiras de Livros
Muitas vezes trazíamos livros de presente para Maria, mas muitas vezes também – e é assim até hoje – levamos a Senhorinha para alguma livraria e permitimos que ela mesma escolha seu livro. Maria não pode ver uma livraria que quer parar e explorar tudo. Quando surgiu a Feira de Livros na escola, ficou eufórica. Não sabia qual estande visitar primeiro. Percorria tudo com muito gosto e no final sempre trazia livros pra casa. A feira de livros, biblioteca ou livraria, são contatos importantes para a criança, que terá oportunidade de folhear os livros e escolher dentro da sua idade o que mais lhe agradar.
Feira do Livro 2015
3 – Ler para criança e aceitar a leitura à sua maneira
Como Maria teve livros desde bem pequena, foi a partir daí que também todas as noites líamos pra ela uma ou mais historinhas. Contos de fadas, poesias, a bíblia infantil e outros temas, faziam parte da sua leitura diária. Da escola também vinham livros toda semana e era mais uma oportunidade de leitura. Muitas vezes a criança quer ler também para os pais e assim permitíamos que d.Maricotinha fizesse sua leitura a seu modo, antes contando suas histórias com sua interpretação, depois lendo fluente, as histórias reais. O importante é nunca parar de ler e com tanto incentivo, Maria tem hoje sua leitura individual e prazerosa.
4 – Permitir a leitura em vários lugares
Quando a criança começa a ler, ela não quer mais parar. Tudo é motivo para uma “leiturinha”. E esses momentos são importantíssimos para o incentivo. Maria parava para ler placas na rua, panfletos nos postes, rótulos de produtos, outdoors, tudo! Claro que nem toda hora podemos parar, mas quando não havia compromisso, esperava Maria em sua leiturinha especial e prosseguíamos a caminhada. Achava graça sua curiosidade. E pra falar a verdade é assim ainda. Ela quer ler tudo! É preciso sem muita pressa, permitir esses momentos, principalmente no início da alfabetização.
Maria gosta de ler com a vovó. À direita Maria sempre curiosa na rua, no começo de suas descobertas de leitura
5 – Menos eletrônicos, mais livros
Todos sabemos que nessa era tecnológica é quase impossível não ver uma criança envolvida com os eletrônicos, mas é preciso muita sabedoria e firmeza para lidar com eles. Cada família tem sua maneira de conduzir esse contato da criança com a tecnologia. Amanhã pode ser diferente, mas hoje, com 8 anos, Maria ainda não possui os eletrônicos do momento. Gosta de jogar em nosso computador, mas é controlado nos fins de semanas e em algumas exceções. Com isso, a leitura não ficou de lado. Ela pensa mais nos livros e menos em computadores. Mesmo a criança tendo um contato maior, é preciso controlar esse tempo com dedicação e esforço para criar oportunidade de leitura com os livros também. Penso que quanto menos envolvimento com os aparelhos, mais livros nas mãos.6 – Ter livros por perto sempre

Desde que começamos a juntar os livrinhos de Maria, fomos arrumando uma maneira de colocá-los mais pertinho dela. Uma estante aqui, outra ali, um cestinho de gibis, um criado mudo. Tudo serviu para deixar os livros mais perto da Senhorinha. Ter os livros de modo acessível e sempre às mãos das crianças, é uma maneira de facilitar e proporcionar leituras mais constantes. Deixá-los no quarto onde a criança pode ter momentos prazerosos de uma leiturinha em sua cama ou em um cantinho apropriado até mesmo em almofadas no chão, se torna essencial para estimular essa leitura diária.
Livros da Maria na estante, no criado mudo ao lado da sua cama, gibis no cesto no chão
7 – Demonstrar à criança alegria quando ela ganha um livro
O incentivo pela leitura aqui em casa sempre foi grande e sempre foi motivo de “festa”. Quando Maria ganha um livro, traz da escola ou quando trazemos pra casa em alguma compra, demonstramos a alegria por mais uma literatura ter chegado. “Que bom filha, que livro lindo, você gostou”? Sempre temos alguma palavra entusiasmada por ela ter adquirido mais um amigo com letras pra fazer parte do seu acervo. Assim mostramos à ela a importância de adquirir livros e claro, lê-los.
8 – Deixá-la viver seu momento de leitura
Toda criança tem suas tarefas e deveres em casa. À medida que vai crescendo, novas tarefas podem ser acrescentadas e com Maria não é diferente. Muitas vezes quando lembro à Maria do que é preciso ser feito, como arrumar uma cama, guardar alguma roupa, organizar algum brinquedo, eu a pego lendo no quarto e percebo a tarefa na metade do caminho. Se o tempo está corrido é preciso terminar o que foi determinado, mas se temos tempo suficiente, permito essa leiturinha pra não perder o ritmo e deixar que ela viva com gosto seu momento de leitura.
Maria sempre recebe estímulos para continuar lendo. Eu sempre digo por qualquer experiência que passamos que não temos perfeição em nada. Ela tem seus momentos de tv, de jogos no computador, de boneca, de bola, de colorir, mas pra ela é muito fácil pegar um livro e lê-lo com entusiasmo e alegria. Acreditamos que é assim, por ter tido o incentivo desde nova, menos fanatismo com a tecnologia e o contato manual com os amigos livros, esses amigos que são preciosos, que abrem caminhos, que fazem aprender e sonhar, e aprender e sonhar é o que mais uma criança precisa para crescer! :)
E você que tem criança em casa ou já teve? Como é a leitura e o incentivo com os livros? Deixe nos comentários sua experiência, vamos ficar felizes em saber! ♥